Como calcular o Imposto de Renda no Lucro Presumido?

leão na mata representando imposto de renda
As empresas optantes pelo Lucro Presumido têm alíquotas de impostos que variam de acordo com a atividade exercida (Imagem por byrdyak no Freepik).

Quer saber como é feito o cálculo do Imposto de Renda pelo Lucro Presumido? É sobre isso que falamos neste artigo.

O Lucro Presumido é uma das opções de regimes tributários previstos na legislação brasileira. Nele, a empresa optante faz a apuração simplificada do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

A Receita Federal faz a presunção do lucro sobre determinada porcentagem do faturamento. É a partir desse percentual de presunção que são feitos os cálculos dos impostos. Caso os lucros ultrapassem o valor, não é necessário comprovar sobre o excedente.

A seguir, nós falamos um pouco mais sobre o regime e mostramos um exemplo de cálculo do IR para as empresas optantes.

Saiba: Como uma empresa de serviço calcula o Lucro Presumido?

Quais empresas se enquadram no Lucro Presumido?

O Lucro Presumido pode ser opção da grande maioria das empresas. Os requisitos para sua adesão são apenas que o faturamento anual esteja abaixo dos R$78 milhões de reais e que a empresa não opere em alguns ramos específicos, como empresas públicas e bancos.

As empresas optantes pelo Lucro Presumido têm alíquotas de impostos que variam de acordo com a atividade exercida. As porcentagens vão de 1,6% até 32% sobre o faturamento.

Quer uma planilha para executar o cálculo do Lucro Presumido? Baixe agora.

Como é feito o cálculo de imposto de renda pelo Lucro Presumido?

O Imposto de Renda com base no Lucro Presumido é calculado trimestralmente. Com relação a aplicação da alíquota, ocorre o seguinte:

  • Alíquota de 15% sobre a totalidade do Lucro Presumido apurado no trimestre;
  • Adicional de 10% sobre a parcela do Lucro presumido trimestral que exceder o valor de R$60 mil ou, em casos de início e encerramento de atividades no trimestre, sobre o limite equivalente ao resultado da multiplicação de R$20 mil pelo número de meses do período de apuração.

Sobre o imposto devido a cada trimestre, ocorrerá a dedução:

  • Do Imposto de Renda Retido na Fonte sobre as receitas computadas na base de cálculo do imposto;
  • Do Imposto de renda Retido na Fonte sobre as importâncias que foram recebidas de entidades da administração pública federal, devido ao fornecimento de bens ou serviços;
  • Do Imposto pago pela empresa, incidente sobre ganhos líquidos de aplicações financeiras de renda variável, remuneração de serviços de publicidade e propaganda recebidos de PJ, comissões e corretagens recebidas de PJ, que sejam relativas a vendas de passagens, viagens ou excursões, administração de cartão de crédito e prestação de serviço de distribuição de refeições via convênio.

Poderão ser compensados os valores do imposto devido por trimestre, desde que eles sejam informados na Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). Dentre eles estão pagamentos indevidos, saldo negativo do IR apurado em períodos anteriores que não foram compensados e outras compensações.

Saiba o que é contabilidade consultiva, acesse a matéria!

Exemplo de cálculo

Suponhamos que uma empresa optante pelo regime tributário do Lucro Presumido, no primeiro trimestre do ano obteve receitas de vendas de produtos, totalizando R$ 872 mil. E ainda, o total de R$115 mil com prestação de serviço.

Além disso, essa empresa obteve rendimentos relativos a aplicações financeiras de renda fixa no valor R$9 mil, sobre os quais já foi retido o Imposto de Renda na Fonte, totalizando o valor de R$1,8 mil.

A empresa ainda fez a venda de bens do Ativo Permanente, tendo apurado na transição o ganho de capital no valor de R$31 mil.

Considerando que os percentuais aplicáveis são de 8% sobre venda de mercadorias e ainda, de 32% sobre as prestações de serviços, teremos o seguinte:

DETERMINAÇÃO DA BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO

 

  8% sobre R$ 872.000,00

 

R$69.760,00

 

  32% sobre R$ 115.000,00

 

R$36.800,00

 

R$106.560,00

 

 Total de rendimentos de aplicações financeiras de renda fixa

 

R$9.000,00

 

Ganhos referente a alienação de bens do ativo permanente

 

R$31.000,00

 

Base de cálculo do imposto trimestral R$146.560,00

 

IMPOSTO DEVIDO NO TRIMESTRE

 

  Imposto normal: 15% de R$ 146.560,000

 

R$21.984,00

 

  Adicional: 10% de R$ 86.560,00

 

R$8.656,00

 

R$30.640,00

 

  IRRF sobre receitas computadas na base de cálculo trimestral

 

R$1.800,00

 

 

Imposto de Renda líquido a pagar

 

R$28.840,00

 

Se a sua empresa precisa de ajuda para realizar os cálculos de Imposto de Renda, conte com a expertise do time da CLM Controller.

Somos um escritório de contabilidade com mais de 40 anos no mercado e contamos com profissionais altamente qualificados para atender as demandas do seu negócio e fazer uma gestão contábil eficiente e assertiva.

Entre em contato conosco e saiba mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + 3 =

By continuing, you agree that this website uses cookies solely for statistical purposes and functions that enhance your browsing experience, without personal tracking.